Você está visualizando atualmente  O que podemos esperar de mudanças na área tributária para o próximo governo

 O que podemos esperar de mudanças na área tributária para o próximo governo

Segundo economista de Lula, a tributação de empresas deve ser próxima do padrão internacional. Guilherme Mello que é colaborador da equipe de transição defendeu avanço de emenda substitutiva à PEC 45, que trata da taxação de grandes fortunas e incentivo ao desenvolvimento sustentável.

De acordo com Mello, o novo governo terá que construir “uma reforma dos tributos indiretos” e, paralelamente, avançar na “reforma da tributação sobre a renda, instituindo a tributação sobre lucros dividendos e adequando a alíquota da tributação das empresas”.

O economista também foi a favor do avanço de uma emenda substitutiva que já tramita no Congresso Nacional como complementação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 45.

Outro ponto importante são as reformas da tributação sobre o consumo e a renda, que não chegaram a ser aprovadas pelo Congresso no governo Jair Bolsonaro (PL), estão entre as principais propostas que tem a chance de ser votadas no início do novo governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2023.

Lula defendeu na campanha mudanças no Imposto de Renda como a correção da tabela, a tributação de lucros e dividendos e a taxação dos mais ricos. Dois desses temas também fazem parte de um projeto do governo Bolsonaro que chegou a ser aprovado pela Câmara, porém parou no Senado.

Vale a pena explicar sobre:

Tributação do Consumo

A proposta da Câmara, a PEC 45, foi apresentada em 2019 pelo deputado Baleia Rossi (MDB), e tem como base a um projeto do economista Bernard Appy, que foi do Ministério da Fazenda de 2003 a 2007.

Realizando a substituição de cinco tributos (os federais PIS, Cofins e IPI, o estadual ICMS e o municipal ISS) por um imposto sobre bens e serviços (IBS), com arrecadação centralizada e gestão compartilhada, e um imposto seletivo sobre cigarros e bebidas.

O texto possui relatório do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), que deseja também substituir a desoneração da cesta básica pela devolução de imposto para famílias de menor renda, que é um modelo semelhante ao adotado no Rio Grande do Sul.

Uma visão parecida dessa proposta é a PEC 110, do Senado, cuja versão atual é um relatório do senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Uma das principais diferenças é a possibilidade de ter um IBS federal e outros para estados e municípios.

O mestre em direito tributário pela PUC/SP chamado Eduardo Natal disse que a criação do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), reunindo Cofins, PIS, ICMS e ISS, está adiantada e, segundo a equipe de transição do novo governo, pode ser implantado já em 2023.

“Durante a campanha, Geraldo Alckmin defendeu a proposta, e como coordenador do governo de transição, negocia a mudança na tributação sobre o consumo, considerada essencial para a retomada econômica. O caminho seria a tramitação pela Câmara, por meio da PEC 45, ou buscar a aprovação do parecer da PEC 110 na CCJ do Senado”, afirma Eduardo Natal, mestre em direito tributário pela PUC/SP.

Eduardo Natal também citou “As duas PECs têm como ideia central tributação similar a praticada por muitos países participantes da OCDE”.

Imposto de Renda

Durante a campanha, o presidente eleito Lula, também defendeu a correção da tabela do Imposto de Renda, com faixa de isenção elevada de R$ 1.903,98 para R$ 5.000, e a tributação de lucros e dividendos.

Entretanto, na atual gestão, a Câmara chegou a aprovar o projeto do Ministério da Economia que previa isenção até R$ 2.500, correção das demais faixas e a taxação de lucros, mas isentando empresas do Simples e de Lucro Presumido.

Segundo as diretrizes para o programa de reconstrução e transformação do Brasil, essas são as propostas do programa de governo Lula/Alckmin:

– Reforma tributária solidária, justa e sustentável.

– Simplificar e reduzir a tributação do consumo.

– Garantir progressividade tributária.

– Desonerar produto com maior valor agregado, tecnologia embarcada e ecologicamente sustentável.

– Combate à sonegação.

Fontes: https://www.telesintese.com.br/para-economista-de-lula-tributacao-de-empresas-deve-ser-proxima-do-padrao-internacional/

https://jc.ne10.uol.com.br/colunas/jamildo/2022/11/15116627-governo-lula-pode-implantar-o-iva-no-inicio-de-2023.html

Sobre a Prisma

A empresa Prisma BPO Consultoria E Assessoria Empresarial Ltda está localizada no Rio de Janeiro, tem como objetivo cuidar da gestão contábil, fiscal e departamento pessoal das médias e grandes empresas de forma transparente, eficiente e com foco nos resultados, por meio dos serviços de Consultoria empresarial e de Business Process Outsourcing (BPO).

Deixe um comentário